quinta-feira, 23 de abril de 2009

LINDA DE MORRER

Juro que não é papo de invejosa. Nem de feia revoltada. É uma inquietação apenas...

Outro dia eu estava pensando no quanto deve ser difícil ter aquela beleza absurda, sabe, bem estilo linda de morrer? Aquela que não tem quem olhe e não pense no quanto a pessoa é bonita.
A princípio, "que tudo!". Mas reflita: quando te olham, você é bonita. Se vai fazer uma entrevista de emprego, é a menina gostosa. Pro pai, é a filha miss universo. Pro professor, é a aluna linda. Pro amigo do pai, é um perigo. Entre as amigas, é a maior inimiga do mundo (mesmo que em segredo).
Meu deus. Que chatice! Claro que a beleza absurda abre algumas portas e não seria de todo mal ficar linda mesmo depois de uma hora de esteira. Mas e se você não quiser que a beleza seja uma chave? E se num dia você, simplesmente, não quiser chamar atenção? "Hoje eu não quero ser maravilhosa, quero passar despercebido!" - Não existe essa possibilidade.
Você já parou pra pensar que uma menina linda de morrer não pode ter melhores amigos homens? TODOS eles devem ter dúvidas sobre seus sentimentos em alguma altura do campeonato.
Se a menina é legal, super divertida e, ainda por cima, uma deusa grega, você acha mesmo que o cara só vai querer amizade pra sempre? Claro que não! Em um certo momento ele vai se sentir num besteirol americano da vida e vai achar que seu destino pode ser a mulher maravilha que além de tudo, é sua melhor amiga.
Você entende?! Ser milimetricamente bonita significa carregar um rótulo imediato. Ainda que tal rótulo seja o mais desejado por essa sociedade super profunda em que vivemos, ele não deixa de representar um pré-conceito. Na verdade, todo extremo representa - a feiura máxima, inclusive.
Agora pense comigo. A menina tipo eu, que alguns podem achar feia, outros, bonita. Alguns podem nem ter uma opinião formada sobre isso. Tudo bem.
De repente, num dia resolvo acender minha fogueira da vaidade, faço uma bela escova, jogo um blush aqui, um rímel ali, uma blusa decotada, e pronto: posso até chegar a ficar linda!
Num outro dia corriqueiro, em que eu resolvo dispensar a beleza, posso sair de coque no cabelo, um óculos embaçado, uma calça que me engorda, e tchãram: a baranga perfeita.
Veja quanta versatilidade uma pessoa normal tem nas mãos. Quantas armas e quantas cartas embaixo da manga.

Sabe, a beleza exata é carro, é casa grande, é status. É parte de tudo aquilo que, no fundo, todo mundo sabe que não passa de desejos infames criados por um sistema falido pra fazer sua economia girar.
É abstrato e é ilusório.
Para as deusas gregas, boa sorte! Quanto às meras mortais:
Vamos brincar de ser. Ser o que resolver que quer ser. Relaxe e brinde o corpo que lhe foi concebido - esqueça todas essas regras. Vai por mim. Qualquer padrão que seja é uma criação besta do homem. Lá na frente, vão todos carregar as mesmas rugas e as mesmas orelhas gigantes. Seremos os velhinhos que vemos hoje nas ruas. Seremos corpo velho. Seremos uma somatória deliciosa de histórias. Seremos um pacote de frustrações desnecessárias. Seremos experiências acumuladas de vida. Seremos sempre vida.
Feios ou bonitos - de qualquer jeito.

Liberté

3 comentários:

ana luz disse...

eu sou linda de morrer e dai???huahuauhauhauhauhhuahuauha...

tbm axo q temos q ser felizes!
não importam os problemas, a beleza (ou a feiura)...rs

bjoooo zokka

Rebeca Protta disse...

essa expresao é tao estranha né " linda de morrer " seria tao lidna assim que quando vê a pessoa, morre? hahaha

bom, acho que nao quero ser linda de morrer entao, senao fico sem namorado..rs

beijos tenha um otimo dia ! (:

Michel Rossi disse...

Mazuza: eu, como autêntico representante das pessoas lindas de morrer, preciso reconhecer que vc está absolutamente certa no que escreveu sobre nós, deuses gregos....

É dificil ser tratado como um objeto sexual, uma máquina incansável de proporcionar sensações aminióticas....

Bjo querida zuza!!