terça-feira, 20 de outubro de 2009

Prazer, Mariana Tango

Sofri de uma gripe crônica e mortal no dia de ontem e na madrugada, principalmente.


Alucinadamente, passava a mão pelo cabelo e sentia o suor indeciso por frio ou calor, tentava respirar pelos vãos da narina congestionada, engolia saliva na esperança de sanar o ardor na garganta, girava para todos os lados e buscava ângulos incríveis naquela cama que se tornou uma tortura horizontal na noite passada.
Sonâmbula, tentava tragar para dentro a calmaria da noite que era silêncio. Só ela seria capaz de apagar meu incêndio, minha inquietação, minha gripe fulgaz.
Digo fulgaz porque acordei renovada. Saltei da cama como quem desperta para uma viagem ao Caribe. A manhã se fez reluzente, coberta de luz amarelada no céu e minha cama, tormento durante a noite, se tornou templo de minha alegria matinal. (É claro que, publicidade gratuita a parte, me entopi de benegripe e do melzinho com própolis milagroso de espirrar na garganta)
De qualquer forma, sabe aquele torcicolo postado aqui embaixo a umas 24 horas atrás? E essa gripe intensa e efêmera que me fez viver e sonhar um pesadelo real na noite anterior?
Tudo isso foi levado a não sei onde com o vento da instabilidade que me consome por inteiro.
Hoje, analisando os fatos relatados neste espaço virtual, sempre tão cheios de devaneios intensos e dores profundas, percebi que meu pai tem toda razão.
Lendo minhas inquietudes, revoltas e inconformações com a rotina mundana (sempre seguido de um depoimento polianês cheio de amor pela vida) tive a certeza que ele, meu pai, realmente sabe mais de mim do que eu mesma.
Outro dia, enquanto eu ria logo após uma declaração feita aos prantos de que minha vida não tinha sentido, ele soltou essa: "Mariana deveria se chamar Mariana Tango."
Ri:
- Tango?
- Sim, você é um tango.
Nunca alguém teria me definido tão precisamente. Quer dizer, já sim. Ele mesmo sempre sabe me dizer quem sou das formas mais inusitadas e deliciosas...
É daí que vem aquelas ideias de que o nosso pai é sempre o melhor do mundo! Realmente, não poderia haver ninguém mais perfeito pra me lançar à Terra.


sinta o drama...

4 comentários:

Maria disse...

Adoro como organiza os acontecimentos no seu texto! Daqui, ri sozinha.
Beijo.

Lola disse...

que bom saber disso. a ideia é levar qualquer tipo de emoção a qualquer canto do mundo mesmo.
beijo!

josue mendonca disse...

vc é sempre fofa
gosto de sua alma poética e que bom que consigo me fazer entender


às vezes me sinto escravo da poesia para me ver livre da realidade

bjao

10 COLORADO disse...

Muy bella imagen!!!

¿Lo del agua seca es nuevo????

Mis mejores deseos para ti y para todo, gracias!!!